Respostas
B. Piropo
Anteriores:
< Hardware >
Volte de onde veio
02/08/2004

<Misturando memórias>


P: Em uma placa-mãe que aceita os padrões de DDR 266 e 333, posso usar uma memória DDR 400 (mesmo que ela opere a 333)? Em uma placa-mãe que utiliza padrões DDR 266/333 posso colocar “placas” com velocidades diferentes? Por exemplo, o primeiro pente com 256 MB DDR 266 e um segundo pente com 512 MB DDR 400 (mesmo que ela opere a menos)?

Kristten 

R: DDR é o acrônimo de Double Data Rate, ou taxa dupla de (transferência de) dados. Módulos (ou “pentes”, como são conhecidos popularmente) de memória que aderem a esse padrão são capazes de efetuar duas transferências de dados por ciclo de operação do barramento. Assim, um módulo de memória DDR 266 deve usar um barramento operando em 133 MHz e é capaz de transferir dados no dobro dessa freqüência (como transfere 64 bits, ou 8 bytes de cada vez, atinge um fluxo de dados de aproximadamente 2100 MB/s e por isso são também conhecidos como “PC 2100”). Já um módulo DDR 333 utiliza um barramento operando a 166 MHz e chega a um fluxo de dados próximo de 2700 MB/s (e são conhecidos como “PC 2700”). Ocorre que os módulos são classificados pela freqüência máxima com que transferem dados. Isso quer dizer que um módulo DDR 400 pode funcionar sem problemas em um barramento operando no máximo a 200 MHz (e, portanto, transferindo dados no dobro disso, 400 MHz, atingindo um fluxo de 3200 MB/s, o que faz com que sejam também conhecidos como “PC 3200”). Mas nada impede que esse mesmo módulo DDR 400 opere em barramentos mais lentos. Portanto você pode, sim, utilizar um módulo DDR 400 em sua placa ajustada para módulos DDR 333 (ou seja, com uma freqüência de barramento de 166 MHz). E, como quem dita a rapidez com que os dados são transferidos é a freqüência com que o barramento opera, seu módulo DDR 400 funcionará como se fosse um DDR 333. Na verdade, é comum usuários que pretendem fazer um “upgrade” de memória em uma placa mãe relativamente antiga comprarem módulos mais rápidos que os exigidos pela placa-mãe para que, no futuro, eles possam ser aproveitados em placas-mãe com barramentos mais rápidos. Já quanto à “mistura” de módulos (ou pentes) na mesma placa: em tese, não há nada que impeça, desde que a freqüência do barramento seja ajustada para atender ao módulo mais lento (no seu caso, o de 256 MB DDR 266, portanto o barramento deve ser ajustado para operar à uma freqüência correspondente à metade disso, 133 MHz). E, claro, seu módulo de 512 MB DDR 400, se funcionar, obedecerá à freqüência do barramento, operando como se fosse um DDR 266. O “se funcionar” aí de cima tem uma razão de ser: embora módulos mais rápidos sozinhos (ou em conjunto com módulos de mesma freqüência) costumem funcionar sem problemas em barramentos mais lentos, nem sempre o mesmo ocorre com a “mistura” de módulos de diferentes freqüências (a capacidade não importa, o que importa é a freqüência). Mas se você já tem os módulos, não custa tentar. Mal não faz (ou seja, não há o risco de “queimar” nada). O pior que pode ocorrer é o micro não inicializar ou se tornar instável. Nesse caso, desfaça a “mistura” que tudo deverá voltar ao normal.

B. Piropo

 

 


URL: http://www.bpiropo.com.br
Copyright © Benito Piropo Da-Rin
WebMaster:
Atualizada em
(MM/DD/AA) + Hora