Escritos
B. Piropo
Internet:
< Coluna em ForumPCs >
Volte de onde veio
20/04/2009
< O Computex 2009 vem aí... >

Sou “do tempo das feiras”. E só quem viveu aqueles tempos pode entender o significado exato da frase.

O auge do “tempo das feiras” aconteceu nos anos noventa do século passado. E basta fazer uma incursão nostálgica na seção “pesquisar” do < http://www.bpiropo.com.br > “Sítio do Piropo” e efetuar uma busca por termos como “Fenasoft”, “Comdex”, “PC Expo”, “Softel” ou pela expressão “feira de informática” para se perceber como elas foram importantes naqueles dias.

Eram tempos nos quais as empresas do ramo, desde as pequenas até gigantes como Microsoft, Intel e IBM, esperavam ansiosamente as feiras para fazer seus lançamentos. E, mesmo aquelas que não tinham lançamentos montavam estandes monumentais, alguns de dois andares e centenas de metros quadrados (sem exagero), onde expunham o que tinham de melhor. Além de exibirem protótipos de produtos que ainda não estavam no mercado, mas cujo lançamento se esperava para breve (e, neste caso, o significado de “breve” podia variar de “um par de semanas” até “nunca”, dependendo do interesse e credibilidade da empresa). E havia a COMDEX, a rainha das feiras, cuja primeira edição foi realizada em 1979 (sim, antes do lançamento do IBM PC) em Las Vegas e depois cresceu para duas edições anuais nos EUA (“Fall”, sempre em Las Vegas, e “Spring”, entre Chicago e Atlanta) e ampliou-se para todo o planeta (no final, havia edições anuais da COMDEX em dezenas de países, inclusive o Brasil, com edições no Rio e São Paulo). E assim foi até 2004, quando morreu de morte natural.

Quem a matou, assim como a maior parte das demais feiras de informática, foi a Internet.

Pois, com a informação atualizada instantaneamente e à distância de um par de cliques, quem ousaria esperar a próxima edição de uma feira para efetuar um lançamento importante? E quem teria a pachorra de aguardar por uma delas para exibir seus produtos “topo de linha” se tem à disposição a imensa vitrina da rede aberta a todo o planeta?

Resultado: o número de feiras de informática reduziu-se drasticamente. De âmbito mundial sobraram poucas (porém no Brasil, mais especificamente no Rio de Janeiro, ouso adiantar que em agosto deste ano teremos a primeira edição de uma feira – o Circuito de Informática e Tecnologia, CIT – que vai dar o que falar e sobre o qual falaremos no devido tempo). Das quais as mais importantes, sem dúvida, são a CeBIT na Alemanha, a CES nos EUA e a Computex na China Insular (mais conhecida como República da China, Formosa ou Taiwan).

Aí veio a crise (esta mesmo, que Nosso Líder classificou de “marolinha”). A mais recente edição da CES (Consumer Electronics) realizou-se em janeiro passado, no auge da marola, e teve uma redução de 22% no número de visitantes em relação à edição anterior (queda de 141 mil para 110 mil). No mês seguinte foi a vez do CeBIT, cuja queda do número de visitantes chegou a 20% (de 480 mil para 400 mil). E em junho será a vez da Computex 2009.

Figura 1: Computex 2009

A Computex é uma feira que já se tornou tradicional, promovida anualmente na China Insular. Este ano será realizada sua vigésima nona edição. Que, no que toca ao número de visitantes, segundo seus organizadores, será “uma notável exceção”: ao contrário da redução de cerca de 20% que ocorreu nas predecessoras, eles preveem um aumento desse número.

De onde será que eles tiraram esta previsão aparentemente estapafúrdia?

Bem, eles têm lá suas razões.

Uma delas é o aumento, confirmado, do número de expositores. Um aumento pequeno, é verdade, porém seguro: 2,4% a mais que o ano passado (este ano serão 1.700 empresas contra pouco mais de 1.650 em 20028).

Outra é a participação, pela primeira vez, de indústrias representando o parque industrial da China Continental. Explicando melhor: a China Insular, ou Formosa, situa-se em um conjunto de ilhas que até 1949 fazia parte do território da China, quando se declarou independente. Formosa adotou o nome de República da China enquanto a China Continental passou a chamar-se República Popular da China. Até recentemente os dois países não mantinham quaisquer tipo de relações. Mas com o término da guerra fria, com a abertura das fronteiras comerciais da China Continental e o pujante crescimento de sua indústria, as coisas mudaram de rumo. E um dos resultados desta mudança é que pela primeira vez nos 29 anos de existência da Computex a China Continental será nela representada por empresas que ocuparão oitenta estandes.

A terceira razão é o tamanho e importância da indústria de Formosa no campo da informática e telecomunicações. De fato, pesquisa recente realizada pelo MIC (Market Intelligence Center de Taiwan) mostrou que 92,5% das placas mãe comercializadas mundialmente, 92,5% dos computadores portáteis (“notebooks”) e incríveis 99% dos pequenos computadores conhecidos por “Netbooks PCs” são fabricados em Formosa. Que, ainda segundo dados do mesmo instituto, fabrica 80% do hardware consumido mundialmente.

E, finalmente, a própria organização da feira é razão para uma boa dose de otimismo em relação à afluência de visitantes: além dos tradicionais estandes das empresas exibindo seus produtos, haverá quinze pavilhões temáticos com quase 200 estandes, os “Computrends Pavillions”, para ilustrar as tendências futuras da indústria e sua integração com nossa vida diária.

Na verdade, todo o espírito da Computex 2009 se baseia no otimismo. De acordo com seus organizadores o lema do evento será “MOVE” que, ainda segundo a mesma fonte, além da ideia de movimento para adiante mesmo em uma economia global estagnada (“MOVE forward in a stagnant global economy”), pode ser interpretada por uma sigla formada pelas iniciais de:

  • Mobility (mobilidade) – referindo-se à computação móvel, sobretudo a baseada no padrão WiMax, um dos temas principais da feira;
  • Overall (em toda a parte, generalizado) – enfatizando o conjunto de novos produtos de informática espalhados por toda a parte;
  • Variety Display (variedade de monitores) – representando a grande diversidade de dispositivos de tela plana em tamanhos diferentes, dos quais os principais fabricantes têm sede em Formosa; e
  • Embedded Technology – sugerindo a ubiquidade de dispositivos eletrônicos “embutidos” (ou embarcados) em uma enorme diversidade de produtos.

No que toca ao “M” de mobilidade Formosa tem muito que se orgulhar. Em 2004 o governo nacional deu início ao projeto “M-Taiwan” que prevê a implantação de uma infraestrutura de telecomunicações baseada no padrão WiMax alcançando todo o país. Hoje, a maioria das grandes cidades está coberta pela rede, as grandes empresas já a estão usando para controlar o deslocamento de mercadorias por via rodoviária ao longo da ilha e a entrada e saída de bens através do porto de Keelung. Além disso o Departamento de Polícia da capital, a cidade de Taipei onde será realizado o evento, usa câmaras de vídeo IP ligadas à rede WiMax espalhadas por toda a cidade para manter a segurança. E, durante a realização da Computex 2009 daqui a pouco mais de um mês, será inaugurado o projeto “WiMax on the move” que prevê a cobertura por rede WiMax de todo o sistema de metrô de Taipei (MRT, ou Mass Rapid Transport).

Por isso não é de admirar que as telecomunicações sem fio, tanto no padrão WiFi como, sobretudo, no WiMax, seja um dos destaques do evento. Somente a área dedicada a comunicações reunirá mais de setecentos estandes representando as maiores empresas do setor incluindo Acer, Intel, MSI, Fujitsu e dezenas de outras, que exibirão todo o tipo de dispositivos portáteis, desde “netbooks” até PDAs (Personal Digital Assistants). Incluindo, evidentemente, todo o tipo de telefone celular.

No que diz respeito ao “O” de “Overall Computing” o evento focalizará a contínua evolução dos dispositivos, desde os grandes micros portáteis de 15,4 polegadas até os pequenos “netbooks” com suas pequenas telas de menos de nove polegadas, indo aos chamados “all-in-one-PC”, dispositivos de pequeno porte, leves, portáteis e com preços acessíveis que integram capacidade de processamento, telecomunicações e acesso à Internet.

Quanto ao “V” de “Variety Display” cabe notar que Formosa é o único fornecedor de telas de cristal líquido (Liquid Cristal Displays, ou LCDs) com capacidade de fabricar desde as pequenas telas de telefones celulares e afins até os gigantescos painéis compostos por módulos múltiplos para grandes ambientes e estabelecimentos comerciais, inclusive os usados para sinalização digital (“digital signage”). Estes painéis estão se tornando cada vez mais comuns para exibir informações sobre meteorologia, cotações de ações, notícias curtas e publicidade não só em Formosa como em todo o mundo e terão merecido destaque na feira.

O “E” de “Embedded Technology” é a última letra da sigla dedicada ao lema da Computex 2009 mas nem por isso será o menos importante. De fato o instituto de pesquisas MIC prevê que as atividades de pesquisa e desenvolvimento ligadas á informática embarcada experimentarão uma taxa de crescimento anual de 8,4% no período de 2006 a 2010 e que, neste último ano, Formosa produzirá um total de quase nove bilhões de dólares americanos de bens neste setor, um crescimento causado pelo aumento de demanda de dispositivos informatizados para uso nos bens eletrônicos de uso doméstico (“consumer electronics”), comunicações e eletrônica embarcada em veículos. Estes produtos, que vão desde pequenos dispositivos de segurança por reconhecimento de impressões digitais até painéis ultrafinos para uso em monitores, passando por equipamentos para uso médico e industrial, serão fartamente exibidos na Comdex 2009.

Por último mas não menos importante a feira devotará uma atenção especial a produtos que mostram a preocupação de seus fabricantes com questões ambientais. Esta preocupação inclui a eliminação ou redução do uso de produtos potencialmente contaminantes, a seleção de materiais, o projeto “ambientalmente amigável” (“eco-friendly”) e a economia de energia. A questão é importante não apenas do ponto de vista ecológico mas também do econômico: apenas em 2008, indústrias ligadas a produtos geradores de energia “limpa” provocaram um faturamento de quase cinco bilhões de dólares americanos. E o governo de Formosa espera que esta cifra aumente até um total de 14 bilhões de dólares em 2012. Por isso não é de estranhar a ênfase dedicada pelos organizadores aos cuidados com o meio ambiente. Que inclui um pavilhão inteiramente dedicado a produtos ambientalmente seguros, o “Green IT Pavillion”, e a criação de um prêmio especial, o “2009 Best Choice of Computex Taipei”, a ser entregue á empresa que exibir o produto que mais contribuir para a manutenção de um meio ambiente saudável.

Pois é isso. A Computex é a segunda maior feira de informática do mundo e a maior realizada em território asiático. Você encontrará mais informações sobre a edição Computex 2009 em seu sítio na Internet, o < http://www.computex.biz/ >Computex.biz. Ela será realizada em Taipei de 01 a 06 de junho próximo. Seus 1.700 expositores ocuparão 4.600 estandes distribuídos por cinco diferentes pavilhões situados em quatro prédios independentes. Será organizada pelo TAITRA (Taiwan External Trade Development Council). Receberá visitantes e expositores de todo o mundo, incluindo não apenas as maiores indústrias de Formosa como gigantes internacionais como Intel, Hitachi, AMD, Sanyo, Kingston, Microsoft e dezenas de outros. Estima comercializar, apenas no evento, cerca de vinte bilhões de dólares.

E, se as coisas correrem como esperado, este vosso amigo humildemente estará por lá cobrindo o evento pelo Fórum PCs.

Coluna anterior: < http://www.forumpcs.com.br/viewtopic.php?t=253576 > A síndrome do “Eu só trabalho aqui”

Próxima coluna: Em breve.

Comentários dos Leitores

B. Piropo


URL: http://www.bpiropo.com.br
Copyright Benito Piropo Da-Rin
WebMaster:
Topo da Página
Atualizada em
(MM/DD/AA) + Hora
Wagner Ribeiro ]