Escritos
B. Piropo
Internet:
< Coluna em ForumPCs >
Volte de onde veio
24/05/2010
< A COMPUTEX 2010 vem aí... >

Quando você estiver lendo isto, eu já terei partido para a COMPUTEX 2010. Na verdade, pretendo postar esta coluna imediatamente antes de seguir para o aeroporto. Portanto talvez você a esteja lendo antes de minha chegada ao local da feira, posto que a viagem é longa. E bota longa nisso.
A COMPUTEX é uma das três maiores feiras internacionais de informática do mundo. Na verdade, levando em conta que a Internet e a facilidade de comunicação acabaram com a era das feiras (bons tempos aqueles da velha COMDEX, PC Expo e tantas outras de saudosa memória), restaram apenas três grandes: a CeBit, alemã, a CES, americana, e a COMPUTEX, asiática, que este ano realiza sua trigésima edição anual em Taipei, capital de Taiwan, conhecida há alguns anos como Formosa ou China Insular.

Figura 1: Computex 2010

Taiwan fica, quase literalmente, do outro lado do mundo. São onze horas de diferença de fuso horário (para o Japão, nossos antípodas, são doze exatas, naturalmente). E onze horas “para frente”. O que cria um efeito curioso. Por exemplo: quando aqui no Brasil são, digamos, nove horas da noite de uma sexta-feira (hora aproximada de meu embarque aqui no Rio) em Taipei já são oito da manhã, mas do dia seguinte, sábado.
Este “salto para o futuro”, combinado com a longa duração da viagem, me faz perder um dia inteiro na ida. Explico: entre minha decolagem no Galeão e meu pouso em Taipei, incluindo duas escalas em Atlanta e Los Angeles, transcorrerão exatas (ou quase exatas) quarenta horas, trinta delas encolhido em uma poltrona de avião e dez aguardando em aeroportos. Saio daqui em uma sexta-feira à noite. Como a viagem dura 40 horas, deveria chegar às 13 h de domingo. Não chego. Pois levando em conta as 11 horas de diferença de fuso, chego a zero hora de segunda-feira. Dia para o qual já tenho compromissos marcados, é bom que se diga.
Em compensação ganho um dia na volta. Volto via Tóquio e Nova Iorque. E, curiosamente, saio de Tóquio em um sábado, às três e meia da tarde, com a chegada em Nova Iorque estimada para este mesmo sábado, três e vinte da tarde, após cerca de doze horas de voo. Ou seja: por artes do fuso horário, viajo meio dia e ainda chego antes de partir.
Mas voltemos à feira.
Pouco acima eu mencionei que esta será a trigésima edição anual da Computex. Talvez você não tenha se dado conta do que isto representa. Tentemos ser mais explícitos enfatizando o ano em que ocorreu a primeira edição: 1981. Esta data lhe traz algo à mente?
Claro. Pois foi em agosto daquele ano que a IBM lançou seu PC, o primeiro computador pessoal de dezesseis bits, inaugurando, na prática, a era do computador pessoal (as máquinas de oito bits que até então existiam poderiam, se tanto, serem consideradas as antecessoras desta era). Quer dizer: para todos os fins práticos, a COMPUTEX vem acompanhando, passo a passo, a evolução dos microcomputadores.
É claro que, ao nascer, a feira não exibia a pujança que tem hoje. Na verdade, os organizadores sequer divulgam o número de participantes e expositores da primeira edição. Dizem apenas que era então denominada “The Computer Show” e que foi promovida pela TCA (Taipei Computers Association) com o objetivo de discutir as atividades de seus membros. Mas comentam que naquele ano a Acer, empresa local, começou a fabricação de seu primeiro produto para exportação, o “Micro Professor I”.
O nome COMPUTEX só foi adotado a partir de 1984. Nesta ocasião o evento já era suficientemente importante para atrair a atenção (e o patrocínio) do TAITRA, o Conselho para Desenvolvimento do Comércio Exterior de Taiwan, um órgão governamental que passou a apoiá-lo a partir de 1985 e o faz até os dias de hoje.

Figura 2: Taipei 101

Daí para frente a COMPUTEX só cresceu. Em 1986 deslocou-se para o Taipei 101, o marco da cidade de Taipei e, então, o prédio mais alto do mundo (hoje em dia o gigantismo da feira fez com que ela deixasse o Taipei 101 e se espalhasse por quatro diferentes pavilhões, três deles nas vizinhanças do Taipei 101 e o quinto, maior e mais importante, no bairro de Nangang, não muito distante). Em 1987 a exposição já comportava mais de 1200 estandes de quase quinhentos exibidores.
De lá para cá foi só crescer ainda mais. Eventos paralelos foram se agregando à COMPUTEX, como o “e21 Forum”, em 2000, para discutir a evolução tecnológica esperada para o século 21, e a COMPUTREND, em 2001, uma área que engloba a maior parte de um dos pavilhões da feira, dedicada especificamente a expor produtos que indicam a tendência da indústria da computação para o futuro próximo (veja na página < http://www.computex.biz/computex2010_en/TopNews_Detail.aspx?index=34194 > “New COMPUTEX Hot Spot: major manufacturers at COMPUTREND”). Em 2006 ocorreu a primeira premiação do melhor produto exposto a cada ano (Best Choice Award) e o início de reuniões diretas entre fabricantes e possíveis compradores que discutem seus negócios sem intermediários (o Procurement B2B e seu sítio na Internet, o < http://www.computex.biz/ > Computex.biz). Além da realização de feiras “temáticas” em pavilhões específicos, como o WiMAX Pavillion (Taipei é inteiramente coberta por uma rede de transmissão sem fio de alta taxa padrão WiMAX).

Figura 3: Pavilhão de exposições de Nangang

Em 2008 o formidável pavilhão de exposições de Nangang foi acrescentado aos três já existentes e transformou a COMPUTEX no evento gigantesco que é hoje.
Ano passado estive lá para cobrir a edição XXIX e publiquei três colunas sobre ela (veja aqui a primeira: < http://www.forumpcs.com.br/viewtopic.php?t=255154 > “A Computex 2009 começa com estilo”). Foi uma feira de respeito que se espalhou por quatro pavilhões abrigando cerca de 4.500 estandes de mais de 1.700 expositores provenientes de dezenas de países de todo o mundo e que atraíram a bagatela de 118 mil visitantes, a maioria deles, naturalmente, da própria Ásia (61%), mas com uma importante participação de visitantes “de além-mar” (note que no caso o mar é o deles) dentre os quais se destacaram os oriundos dos EUA (14%).
E o que se espera para este ano?
Bem, este ano o evento – na verdade, o conjunto de eventos no que se transformou a COMPUTEX – transcorrerá entre primeiro e cinco de junho de 2010. Será a maior feira de informática da Ásia e uma das três maiores do mundo. Já está confirmada a participação de mais de 1.700 exibidores que ocuparão quase 4.900 estandes em quatro pavilhões – além de um quinto, reservado a Fóruns e palestras. Um dos pavilhões, o TICC (Taipei International Convention Center) será dedicado àquilo que os organizadores chamam de “Stellar Exhibitors”, os mais importantes exibidores da feira. E haverá exibidores de todo o mundo, desde os locais Acer, Asus, Gigabyte, Thermaltake e dezenas de outros até gigantes como Intel, AMD, Fujitsu, Hitachi, Kingston, Microsoft, NVIDIA, SanDisk, Supermicro e mais um mundo de outros.
Como eu disse, a feira não é “o” evento, é apenas um dos eventos. Em paralelo haverá entrevistas coletivas, cerimônias (inclusive a grande cerimônia de abertura) com Fórum, palestras e debates, o evento paralelo sobre WiMAX, seminários, lançamento de produtos e entrega do Best Choice Award.
Os organizadores esperam que sejam fechados negócios envolvendo um total de vinte bilhões (BI, mesmo) de dólares americanos pelos mais de 120 mil visitantes esperados, provenientes de 185 países (caramba !!!).
Eu estarei por lá tentando cobrir tudo isto. Sempre que possível, ao longo de todo o período do evento, enviarei notas acompanhadas de fotos e observações sobre o que achar de interesse de vocês. Que, no final, terão que aturar mais uma coluna sobre o assunto.
Mas, como não sou onipresente, só poderei acompanhar alguns dos eventos. E, como mencionei, haverá muitos. Inclusive um que não foi mencionado mas que, quem sabe, talvez vocês achem que tem alguma relevância.
Pois acontece que este ano, tendo em vista o interesse despertado pelas recepcionistas que se espalham pelos estandes (como pode ser facilmente verificado pelos comentários e cobertura dos colegas que também andaram pela COMPUTEX 2009), os organizadores da feira decidiram criar um concurso denominado “The Computex Sweetie”. Selecionaram trinta delas (e eu garanto que a seleção não se baseou nos dotes intelectuais das meninas; veja uma amostra na Figura 3) e organizaram um concurso.

Clique para ampliar...

Figura 4: Algumas COMPUTEX Sweeties

Se desejar, saiba mais sobre o concurso e o procedimento de votação diretamente na página < http://www.computex.biz/computexsweetie/index.html > “Computex Sweetie”, onde encontrará ainda o perfil de todas as candidatas assim como os locais onde podem ser encontradas (apenas nos pavilhões da feira, é claro), mas já adianto que a votação será feita exclusivamente in loco.
No dia 4 de junho será encerrada a votação, escolhida a vencedora e divulgado seu nome e demais características na devida cerimônia de entrega do galardão.
Prometo, durante a feira, entre as notas, fotos e observações técnicas, enviar diretamente para vocês as fotos das candidatas que eu eventualmente encontrar em minhas andanças pelos pavilhões.
Assim, quem não encontrar mais nada de interesse na minha cobertura do evento, quem sabe não se distrairá com as fotos das “sweeties”...
Até Taipei.

Coluna anterior: < http://www.forumpcs.com.br/viewtopic.php?t=267404 > Iomega ix2-200: excelente solução para armazenamento em rede
Próxima coluna: Em breve
.

Comentários dos Leitores

B. Piropo


URL: http://www.bpiropo.com.br
Copyright Benito Piropo Da-Rin
WebMaster:
Topo da Página
Atualizada em
(MM/DD/AA) + Hora
Wagner Ribeiro ]