Escritos
B. Piropo
Internet:
< Coluna em ForumPCs >
Volte de onde veio
14/03/2011
< Internet Explorer 9: lançada a versão final >

Há exatamente uma semana (precisamente no dia 14 de março de 2011 para os que lerem esta coluna futuramente) a MS tornou pública a versão final de seu Internet Explorer 9. O lançamento deu-se um ano depois da liberação da primeira versão beta, durante o qual, segundo Ryan Gavin < http://windowsteamblog.com/ie/b/ie/archive/2011/03/15/fast-is-now-beautiful-ie9-released.aspx > em artigo publicado no “blog” oficial do IE, foram baixadas quarenta milhões de cópias. E, ainda segundo Gavin no mesmo artigo, um total adicional de 2,35 milhões de usuários baixaram a versão final apenas nas primeiras 24 horas após seu lançamento. Um feito e tanto se levarmos em consideração que a nova versão do Internet Explorer roda apenas nos Windows 7 e Vista.


Figura 1: baixando o IE9

Se você usa um destes sistemas operacionais, manteve-se fiel ao Internet Explorer e ainda roda uma das versões anteriores, não hesite em baixar e instalar a nova. Nestes casos não cabe qualquer discussão: a melhora é extraordinária e eu não tenho qualquer dúvida em recomendar uma atualização imediata. Já se, mesmo usando uma destas duas versões de Windows, você migrou para um dos programas navegadores da concorrência (provavelmente o Firefox ou Chrome, de acordo com as < http://marketshare.hitslink.com/browser-market-share.aspx?qprid=0 > estatísticas do MarketShare), talvez seja o caso de ponderar se vale ou não a pena mudar. Mas, em minha opinião, a ponderação somente cabe devido ao justificado receio (ou à igualmente justificada preguiça) de ter que se habituar a usar um programa diferente daquele com o qual já estamos acostumados. Porque, em termos de recursos, facilidade de uso, interface intuitiva e, sobretudo, absoluta integração com Windows 7 (ou Vista), o novo IE9 nada deve – e em alguns aspectos, supera – os navegadores rivais. Portanto, mesmo que você não esteja inclinado a mudar, sugiro experimentar. É de graça, a instalação e uso não requer prática nem tampouco habilidade e talvez as novidades lhe agradem. A não ser, é claro, que você pertença à tribo que acha a Microsoft a encarnação do mal e Bill Gates a personificação do diabo. Neste caso continue usando seja lá o que for que usa agora e esqueça todo o resto. Afinal, princípios religiosos não se discutem...
Quanto a mim, que já há algum tempo havia migrado para o Firefox devido às notáveis deficiências do IE8 e por dever de ofício testei o novo IE9, fiquei tão bem impressionado que vou ajustar meu sistema para que ele volte a ser o navegador padrão e passar pelo menos um mês usando-o rotineiramente. Transcorrido este período, voltarei a sopesar a questão e escolherei então meu novo e definitivo navegador (sempre levando em conta que, no que diz respeito a computadores e seus programas, o vocábulo “definitivo” adota a peculiar acepção de “por pelo menos três meses ou até coisa melhor aparecer”).
Incidentalmente: quem desejar testar a nova versão pode baixá-la diretamente da página < http://www.microsoft.com/brasil/windows/internet-explorer9/default.aspx > do Internet Explorer, tendo o cuidado de escolher entre as versões de 32 bits ou de 64 bits (veja na Figura 1).

Quais são as novidades?
Bem, quem estiver interessado na palavra oficial da MS sobre as novidades do IE9 pode consultar a página < http://windows.microsoft.com/pt-BR/internet-explorer/products/ie-9/welcome-upgrade2 > “A Internet nunca foi tão incrível”. E quem estiver interessado na minha poderá consultar as duas colunas “IE9, Primeiras impressões”, a primeira sobre < http://blogs.forumpcs.com.br/bpiropo/2010/09/20/2867/5/ > “Mudanças na interface” e a segunda, < http://blogs.forumpcs.com.br/bpiropo/2010/09/25/ie9-primeiras-impressoes-ii-fechando/5/ > “Fechando”. Pois, como seria de esperar, entre as versões RC1 e Final praticamente não houve mudanças. De qualquer forma, aqui vai um breve resumo.
O visual mais limpo, com a supressão de barras desnecessárias, adotado por padrão na versão RC1, na final tornou-se opcional. Mas a possibilidade ainda existe: é só clicar com o botão direito em um ponto vazio do local onde ficam as barras de ferramenta e desmarcar as que se deseja ocultar. Como a maioria delas não faz a menor falta, deixei apenas a barra de favoritos e a de comandos que, como se acomodam na mesma linha, ocupam pouco espaço.
Para simplificar ainda mais a interface, sugiro ocultar a Barra de Status, já que a nova “Barra de Notificação” (que só aparece quando necessária e desaparece sem a intervenção do usuário) cumpre as mesmas funções com vantagens. Como a barra de pesquisas desapareceu para sempre, já que suas funções foram incorporadas à própria barra de endereços, a interface ficou notavelmente mais “limpa”.


Figura 2: A nova interface do IE9

A página “Nova Guia” continua mostrando as miniaturas dos sítios preferidos (os mais frequentemente visitados) e oferecendo todas as funções descritas na coluna < http://blogs.forumpcs.com.br/bpiropo/2010/09/20/2867/5/ > “Mudanças na interface” (inclusive navegação “InPrivate”). E ainda se pode arrastar o ícone de um sítio (aquele que aparece antes do nome do sítio na Barra de Endereços) e fixa-lo no menu Iniciar ou na Barra de Tarefas de Windows 7.
As guias continuam móveis e destacáveis e as “descendentes” de uma determinada guia (ou seja, aquelas correspondentes às páginas que foram abertas clicando-se em um atalho da anterior) continuam assinaladas com o código de cores, uma pequena porém utilíssima inovação no IE9 que ainda não vi nos demais navegadores (repare nas abas coloridas que aparecem na Figura 2). E o “Gerenciador de Downloads” continua firme e forte, facilitando muito as transferências de arquivos.
E se alguma coisa nestes últimos parágrafos lhe pareceu incompreensível, sugiro uma consulta às colunas acima citadas, que descrevem cada item em detalhes.
Mas para quem não está interessado em frivolidades e refrescâncias relativas a meras mudanças na interface, cabe uma observação importante: na versão final as funções de aceleração que tiram proveito do hardware e acessam diretamente a controladora de vídeo, assim como o “Chakra Script Engine”, que apressa a execução de código em JavaScript, não apenas continuam funcionando como também melhoraram significativamente.
Eu, particularmente, notei uma melhoria extraordinária posto que, entre o teste da beta RC1 e da versão final fiz uma < http://blogs.forumpcs.com.br/bpiropo/2010/12/28/maquina-dos-sonhos-i-maquina-e-gabinete/ > atualização de hardware que transformou minha máquina em um foguete. Mas se você acha que, afinal, nesta base qualquer programa navegador melhoraria seu desempenho, certamente desconhece o fato de que, como afirma a MS, o IE9 acessa diretamente o hardware da controladora de vídeo. Resultado: seu desempenho é notavelmente mais rápido que o dos demais navegadores na mesma (nova) máquina. E o advérbio “notavelmente” cabe em suas duas acepções: “digno de nota” e “que pode ser facilmente percebido”.
Quem duvidar pode visitar a página de testes criada pela MS especificamente para comparar o desempenho do IE9 com o dos demais navegadores, < http://ie.microsoft.com/testdrive/ > “MS IE9 Test Drive”, e clicar em qualquer um dos atalhos abaixo de “Speed Demos”. Instale o IE9, mantenha o navegador antigo instalado, abra os dois lado a lado, escolha um ou mais dos atalhos e compare o desempenho. Mesmo levando em consideração que, como já mencionei na coluna onde citei os testes pela primeira vez, a página é oferecida pela MS e portanto deve “puxar a brasa para a sardinha” do IE9, a diferença é brutal.

E o suporte aos novos padrões?
Mas o que efetivamente fará diferença é o suporte que o IE9 oferece aos novos padrões, especificamente o HTML5 e CSS3 (e a quem não sabe do que se trata sugiro uma visita < http://blogs.forumpcs.com.br/bpiropo/2011/02/15/3320/ > às colunas que tratam da “Guerra dos padrões” que publiquei recentemente).
Para entender exatamente o que isto representa e ter uma ideia das novidades introduzidas (que, a bem da verdade, já vêm sendo paulatinamente incorporadas aos demais navegadores, especialmente àqueles que oferecem versões para uso nos dispositivos móveis como micros tipo tablete e telefones celulares), convém discutir ainda que superficialmente os novos elementos incorporados à HTML5.
O primeiro e mais notável é aquele que oferece suporte nativo a áudio e vídeo. Aqui não dá para abordar detalhes técnicos, mas convém explicar do que se trata. Pois ocorre que, como bem sabemos, todo programa navegador que se preza é capaz de exibir vídeo com som. O problema é que até recentemente não havia como incorporá-los diretamente às páginas da web usando a linguagem de programação HTML.
Explicando melhor: as primeiras versões da HTML não admitiam sequer a incorporação de imagens. Foi somente mais tarde que se criou o “elemento” imagem, que através do “rótulo” (“tag”) <img> permitiu inserir imagens diretamente nas páginas. Mas, até recentemente, quem queria exibir um vídeo tinha que recorrer a um complemento (ou “plug in”), um programa desenvolvido por terceiros e instalado diretamente no navegador (como o “Shockwave Flash” ou o “Apple Quicktime”) que tomava a si a responsabilidade de exibir os vídeos.
Pois bem: o novo (e ainda não lançado mas já parcialmente implementado na maioria dos navegadores) padrão HTML5 incorpora nativamente o elemento “<vídeo>” que não apenas permite incorporar vídeos diretamente nas páginas (de forma similar à usada para incorporar imagens) como também criar os controles para exibição e mostrar vídeos em tela inteira.
Até agora o melhor suporte nativo ao elemento <vídeo> da HTML5 era o oferecido pelo Chrome. O do Firefox também não era mau. Agora o IE9 se juntou a eles. E com um suporte supimpa.


Figura 3: dois vídeos em sincronia

Quer ver? Faça duas visitas à página < http://html5demos.com/two-videos >, “Two videos in sync” que mostra dois vídeos sendo executados de forma (teoricamente) sincronizada, uma delas com seu programa navegador – seja ele qual for – e outra com a versão final do IE9. E compare os desempenhos (repare principalmente na sincronização entre ambas as imagens).
Note que a página nada tem a ver com a MS. Ela foi desenvolvida por Bruce Lawson e Remy Sharp, autores do livro “Introducing HTML5” (que eu recomendo) para mostrar as inovações incorporadas à HTML.
Quer mais vídeos? Visite a página < http://www.youtube.com/html5 > “Player de vídeo HTML5 do YouTube”, clique no atalho “Entrar no teste de HTML 5” no pé da página e siga as instruções para procurar vídeos desenvolvidos no formato aberto webM. Assista-os no IE9 e clique no botão de “tela inteira”. Veja o vídeo http://www.youtube.com/watch?v=vuxuK8JKfcU “HTML 5 Video tag” que explica como funciona o novo rótulo (“tag”) <vídeo> (infelizmente apenas em inglês) ou ainda < http://www.youtube.com/watch?v=EWhalXA7z2I&feature=fvwrel > “HTML5 Video Test (HD)”. Ambos mostram como é oferecido suporte ao novo elemento “<vídeo>” da versão HTML5.
Mas nem só de vídeo vive a HTML 5. Ainda na área gráfica ela incorpora um novo elemento que, segundo eu penso, revolucionará a web quando totalmente implementado: o “<canvas>”. Que, segundo a definição dos responsáveis pelo padrão, “é uma superfície em mapa de bits, dependente da resolução da tela, que pode ser usada para exibir gráficos, jogos ou outras imagens em tempo real”.
Talvez tenha lhe escapado o significado deste “em tempo real” no final da definição. Se for assim, visite a página < http://canvaspaint.org/ > “Canvas Paint” (com o IE9 ou com seu navegador predileto, todas as versões mais novas já suportam – pelo menos parcialmente – o novo elemento <canvas>) e preste atenção no que ela lhe permite fazer.
Você encontrará uma versão elementar – bastante elementar mesmo – daquele velho programinha gráfico em mapa de bits, o “Paint”, que acompanhava as primeiras versões de Windows e que permite traçar figuras extremamente simples usando as ferramentas gráficas oferecidas pelo programa. Um programinha tão singelo que talvez não lhe cause grande impressão.
Pelo menos até você se dar conta do que está realmente acontecendo. Pense um pouco e maravilhe-se: você está usando interativamente uma página da web PARA NELA DESENHAR!!!!
Eu não sei se você entendeu em toda sua plenitude o que isto tem de revolucionário (note que não me refiro ao IE9 que, como os demais navegadores, apenas suportam a função, estou me referindo ao elemento <canvas> em si mesmo). Mas sei que qualquer pessoa que se lembre da velha web dos anos noventa do século passado, onde a simples inclusão de uma imagem estática na página era uma façanha, irá ficar entusiasmada com as possibilidades de criar uma página que não apenas pode exibir imagens como também permite que o visitante a modifique.
Há outras, muitas outras inovações introduzidas pela HTML5. Como a geolocalização, toda uma interface de programação (a API “geolocation”) que permite localizar e exibir na tela, em um mapa, a posição do usuário (mas note que ela somente tem sentido para os dispositivos móveis). Ou a possibilidade do visitante editar diretamente o conteúdo da página (e não me refiro apenas ao conteúdo gráfico, com o <canvas>, mas ao próprio texto, se o desenvolvedor assim decidir) com o elemento <contenteditable>. Ou ainda às novas funções de manipulação de formulários e armazenamento local (que faz com que os velhos “cookies” pareçam brincadeira), manipulação direta de bases de dados (sql-database) e a possibilidade de carregar na memória o conteúdo de determinadas páginas (selecionadas pelo desenvolvedor) de forma a permitir que a navegação continue mesmo depois de perdida a conexão com a internet (as “offline web applications”). E mais um bocado de outras.
O novo IE9 oferece suporte a muitas delas. Teste uma a uma, visitando a página < http://html5demos.com/ > “HTML 5 Demos and Examples” e outras tantas com demonstrações e exemplos que você facilmente encontrará após uma boa pesquisa em qualquer dispositivo de busca tipo Google ou similar. Mas leve em conta que, como o suporte às novas funções oferecidos pelo IE9 é novidade, em muitas das páginas de teste aparece o aviso “função não suportada” simplesmente porque foi detectado que o navegador é o IE9 e o teste foi liminarmente descartado.
Por exemplo: pelo menos até a data em que esta coluna foi escrita, toda tentativa de usar o IE9 para visitar a página < http://visionwidget.com/showcase/graphics/521-examples-of-fresh-html5-websites.html > VisonWidget, que fornece exemplos de sítios desenvolvidos com suporte a HTML5, é refugada meramente porque o (mau) desenvolvedor criou uma função que erroneamente identifica o IE9 como IE6 e recusa o acesso. Não obstante, o IE9 acessa sem dificuldade a maioria dos sítios citados na página e a eles oferece o devido suporte a HTML5.
E se você quiser ter uma antevisão das maravilhas com que um dia irá se deleitar quando a HTML5 estiver consolidada e todos os programas navegadores de fato a ela oferecerem um suporte confiável, se seu navegador – qualquer que seja ele – oferecer suporte mesmo que incipiente ao novo padrão, visite o sítio < http://www.skybeautiful.com/ > Sky Beautiful e deslumbre-se.
Clique em qualquer ponto do céu e arraste o firmamento com seu mause, escolha uma ou outra galáxia ou constelação, clique sobre ela e, como eu, recolha-se à nossa incomensurável insignificância diante da enormidade do universo.
Divirta-se.

Comentários dos Leitores

B. Piropo

 


URL: http://www.bpiropo.com.br
Copyright Benito Piropo Da-Rin
WebMaster:
Topo da Página
Atualizada em
(MM/DD/AA) + Hora
Wagner Ribeiro ]